Resumo para pesquisa e trabalho escolar - O que é Aids - Histórico da Aids - Prevenção da Aids - A grande arma contra a AIDS
 
O voto cristão
 
Página inicial do Projeto Renasce Brasil
  Livro do Projeto
  Folhetos do Projeto
  Propostas do Projeto
 
Compartilhar esta página
     TEXTO DO FOLHETO RB
     Questões que precisamos conhecer
TEXTO CLÁSSICO
Resumo tipo enciclopédia

 


Aids
 

Detectada no final da década de 1970, a AIDS se configurou rapidamente como uma das maiores ameaças à saúde pública no século XX.

A grande capacidade de contágio, a elevada taxa de mortalidade e um quadro clínico arrasador fizeram desse mal um dos mais graves problemas sanitários e sociais que o homem moderno tem a enfrentar.

A AIDS (sigla de acquired immune deficiency syndrome, ou síndrome da imunodeficiência adquirida) é provocada por uma infecção virótica que danifica o sistema imunológico humano. Em conseqüência, todo o organismo fica exposto a outras infecções, como pneumonia, tuberculose, diarréia etc...

A infecção inicial é provocada pela contaminação direta do sangue por fluidos corpóreos que contenham o retrovírus HIV (sigla inglesa de "vírus da imunodeficiência humana"). Os retrovírus se reproduzem com a ajuda de uma enzima chamada transcriptase, que torna o vírus capaz de copiar (transcrever) suas informações genéticas em uma forma que possa ser integrada no próprio código genético da célula hospedeira. Assim, cada vez que a célula hospedeira se divide, produzem-se também cópias do vírus, cada uma das quais contém o código virótico.
 

Outros Assuntos
    Causas da Violência
    Amor ao próximo
    Preconceitos
    Aposentadoria justa
    Bem-sucedido
    Capitalismo ?
    Criacionismo ?
    Drogas, Causas
    Prevenção da Aids
    Desemprego
    Inflação/Economia
    Seguro-desemprego
    Justiça Social
    Liberdades na TV
    Democracia
    Eleições e Política
    Censura na TV
    Feminismo
    Paganismo
    Pai-Nosso
    Religião
    Protestantes

A moléstia desenvolve-se em três fases. Inicialmente, o HIV entra na corrente sangüínea e provoca o desenvolvimento de anticorpos. Os sintomas aparecem na segunda fase: suores noturnos, febre, diarréia, perda de peso, cansaço e infecções incomuns. A AIDS é, a rigor, a terceira fase do processo, em que surgem as chamadas infecções oportunistas e, finalmente, sobrevém a morte. Os anticorpos do HIV podem ser detectados no organismo duas a oito semanas após a inoculação, mas o vírus fica incubado entre um ano e meio e cinco anos antes que surjam sintomas.

O vírus se transmite pelos fluidos corpóreos, particularmente o sangue e o sêmen. Assim, o contato social com o soropositivo não configura risco de contágio. Por outro lado, a pessoa que ignora estar contaminada pode transmitir a doença. A situação de risco mais importante é a relação sexual, especialmente a anal, pois a mucosa do reto é mais frágil que a da vagina e se rompe facilmente durante o coito, abrindo caminho à entrada do vírus na corrente sangüínea. Outro fator de risco são as transfusões de sangue. A terceira é a aplicação de injeções com agulhas contaminadas. E a quarta é a gestação; a mulher infectada muitas vezes contamina o feto.

A doença foi detectada pela primeira vez em 1979, entre homossexuais masculinos americanos. Por apresentar sintomas parecidos com os de outras moléstias, pôde a princípio passar despercebida e assim expandir-se rapidamente. O primeiro diagnóstico foi feito em 1981, e em 1983 o vírus foi identificado na França, por uma equipe do Instituto Pasteur. Em 1985, criou-se o primeiro método para descobrir no sangue anticorpos do vírus da AIDS.

No início da década de 1990 foi testada uma série de medicamentos contra o HIV. Nenhum deles, porém, mostrou-se capaz de curar a doença. O único que efetivamente conseguia retardar a evolução do mal -- embora ao custo de pesados efeitos colaterais, sobretudo a anemia -- era o AZT (azidovidina). Outro campo de pesquisa eram os remédios contra as infecções oportunistas. Nenhum deles, porém, apresentava resultados comprovadamente eficazes. Apesar dos esforços, a AIDS espalhava-se rapidamente e se previa que no ano 2000 o número de infectados pelo HIV poderia chegar a quarenta milhões em todo o mundo.

A grande arma contra a AIDS é a prevenção. As campanhas sanitárias recomendam, em primeiro lugar, relações sexuais estáveis, com um mínimo de parceiros. Em segundo, o uso de preservativos (camisinhas). Em terceiro, para injeções usar exclusivamente seringas e agulhas descartáveis ou esterilizadas e, nas transfusões, sangue testado. E, finalmente, que as mulheres infectadas evitem ter filhos.


Resumo Extraído de Enciclopédias
Projeto Renasce Brasil

Veja também:
 
Causas e Soluções para as Drogas
 
Causas da violência no Brasil

Pesquisar em outros sites da Web

Pesquisa personalizada

 

 
 

 
|  Home  |  Detalhes  |  Livro  |  Quem Somos  |  Problemas Brasileiros  |  Capitalismo Protestante  |  Propriedade privada  |  
 
 
|  Desemprego  |  Violência  |  Justiça  |  Drogas  |  Capitalismo  |  Inflação  |  Liberdade  |  Censura  |  Feminismo  |  Democracia  |  
 
 
|  Religião  |  Evolucionismo?...  |  Pai Nosso  |  O que é Amor  |  Concorrência  |  Paganismo  |  Aposentadoria  |  Protestantes  |  
 
 
 
Copyright - A republicação dos artigos deste site é permitida desde que citada a fonte com um link para a página original.
 
 
Você está no Site do Projeto Renasce Brasil. Seja bem-vindo!